Da saúde 4.0 à saúde 5.0: transformação digital a favor da vida

Da saúde 4.0 à saúde 5.0: transformação digital a favor da vida
13/05/2021

Na saúde 4.0, empregamos investimentos em tecnologia no setor da saúde. É a revolução no atendimento médico por meio da transformação digital. Mas isso já não é mais novidade, afinal a medicina evolui a todo instante, e desses avanços surge um novo conceito: o de saúde 5.0.Sim, a tecnologia se tornou ubíqua e segue cada vez mais presente na saúde, porém o foco, agora, não é mais em saber quais são as novidades e como utilizá-las no dia a dia dos profissionais. Na saúde 5.0, o foco é o bem-estar do paciente, que passa a ter uma jornada ainda mais eficaz.

Para compreender o que muda de um conceito para o outro, é necessário primeiro entender o que é cada um deles.

 

 SAÚDE 4.0 

 

Como sabemos, o objetivo principal na saúde 4.0 é utilizar investimentos em tecnologia na área da saúde, a fim de buscar a prevenção de enfermidades e garantir o bem-estar físico e mental dos pacientes.

O conceito está intimamente relacionado à transformação digital na área da saúde, com a integração de ferramentas tecnológicas à medicina. Aqui, os mecanismos automatizados ganham força, como os sistemas de gestão para consultórios, a computação em nuvem e a internet das coisas (IoT, do inglês internet of things).

Como os dados fornecidos pelos dispositivos permitem entender melhor a situação de cada paciente, a saúde 4.0 aprofunda a relação de cada um deles com os profissionais de saúde.

Ainda na saúde 4.0 surgem termos como cibermedicina, que estuda a relação entre saúde e internet, e e-health (ou e-saúde), que levam em conta também os avanços tecnológicos offline e a interação dos usuários. Em uma consulta virtual, por exemplo, a cibermedicina seria a avaliação da aplicação de sistemas e programas que possibilitem que o médico examine o paciente. Já a e-health avalia a própria interação entre os envolvidos na consulta.

 

SAÚDE 5.0 

Uma vez instaurada a inserção da tecnologia na saúde, com possibilidades de diagnósticos mais precisos e rápidos, por meio do emprego de inteligência artificial (IA) e algoritmos inteligentes, cirurgias pouco invasivas com robôs que auxiliam a equipe médica e tantas outras opções inovadoras de tratamentos, chegamos ao próximo nível.

Surge a saúde 5.0, conceito recente que estamos trilhando como profissionais da área. A seguir, confira alguns pontos principais desse conceito:

 


MAIOR CONECTIVIDADE

O setor está ficando cada vez mais conectado, e o paciente também. Ele passa a utilizar, por exemplo, um wearable, dispositivo eletrônico que pode ser acoplado em peças de roupas e acessórios, como relógios smartphones, com a função de monitorar seus dados, para complementar o tratamento sugerido pela equipe hospitalar.

Na saúde 5.0 não há apenas sistemas integrados com a disponibilidade de informações para a tomada de decisão, como ocorre na saúde 4.0. Agora existe a possibilidade de conectar diferentes sistemas e dispositivos que permitem monitorar e orientar pacientes, médicos, enfermeiros e demais profissionais.

MAIS AUTONOMIA E EFICIÊNCIA NA JORNADA DO PACIENTE

 


Por meio dos recursos disponíveis na saúde 5.0, é possível proporcionar maior autonomia e qualidade de vida aos pacientes que já estão realizando ou precisarão realizar algum tipo de tratamento médico.

A vantagem da saúde 5.0 é que essa conectividade por ela proporcionada assegura que as informações sobre o diagnóstico sejam compartilhadas com todas as partes necessárias da jornada do paciente – seja a equipe médica, seja o próprio paciente –, para que se tome a melhor decisão e se defina o tratamento mais eficaz, sem interesses secundários. Tudo isso é a tecnologia na prática, no dia a dia, conectando pessoas.

Em um caso prático, por exemplo, ao atender um paciente por meio de uma ferramenta de telemedicina, o médico coleta alguns indicadores, como glicemia, peso e pressão arterial, para verificar a evolução desse paciente, o que, somado a outras evidências, direciona para um possível diagnóstico tratamento. Em seguida, o paciente recebe uma receita digital, que pode ser enviada a uma farmácia, que providencia a entrega do medicamento, sem necessidade de deslocamento do cliente.


PREOCUPAÇÃO COM A SEGURANÇA DAS INFORMAÇÕES

Segurança, qualidade e agilidade sempre serão os principais pilares na relação entre médico, paciente, prestador e operador de saúde.

Com o aumento da conectividade e do compartilhamento de informações dos pacientes, entra a preocupação com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Para entender melhor sobre a LGPD e sua aplicação na telemedicina, confira o material que preparamos exclusivamente para você, profissional cadastrado no Biolab Studio, clicando aqui.

É fato que o cenário de pandemia acelerou processos de transformação digital na saúde que estavam programados para ser discutidos e aplicados a longo prazo, como a regulamentação da telemedicina, modalidade que exemplifica bem o conceito de saúde 5.0. E a tendência é que estejamos todos cada vez mais conectados, o que torna de extrema importância a atualização dos profissionais da saúde quanto às tecnologias e aos novos conceitos.

O que você espera para o futuro da saúde?

 

 

FONTES:
https://telemedicinamorsch.com.br/blog/saude-digital

Transformação Digital: Saúde 5.0 por uma jornada do paciente mais eficaz


http://abramed.org.br/1902/a-saude-conectada-5-0-e-a-era-da-medicina-digital/

 

Palavras-chave: Tecnologia, Saúde, Transformação Digital, Conectividade, Futuro

COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS